sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O sexto sobrinho

Meu amado afilhado,
é madrugada e eu te olho dormir seu primeiro sono de vida, depois de me causar sorrisos longos e chorar alguns choros que eu não consegui conter. eu te vejo pequeno e quero ser grande pra te proteger de tudo que você não entende. / que na nossa história seja igual e diferente. que eu possa te dar longas alegrias e acalentar seus prantos, que a pequena seja eu pra te ver gigante me protegendo do que eu já não entenda. e que você venha velar meu sono na madrugada em que eu dormir. mas que entre esses dois dormires, distantes, celebremos juntos esse milagre que a vida é, esse amor sem fim.

Um comentário:

Raquel Medeiros disse...

Oi menina, que bom que está de volta!
Beijos e que tudo se realize no ano que vai nascer.
Raquel