segunda-feira, 15 de junho de 2009

de um reencontro inesperado, feliz e sedutor numa noite gelada
de um abraço quente e um sorriso enorme pra matar uma saudade fria
de uma conversa cheia de verbos e versos e coisas bonitas
de um grande amor


Errar é útil
Sofrer é chato
Chorar é triste
Sorrir é rápido
Não ver é fácil
Trair é tátil
Olhar é móvel
Falar é mágico
Calar é tático
Desfazer é árduo
Esperar é sábio
Refazer é ótimo
Amar é profundo
E nele sempre cabem de vez
Todos os verbos do mundo
Abraçar é quente
Beijar é chama
Pensar é ser humano
Fantasiar também
Nascer é dar partida
Viver é ser alguém
Saudade é despedida
Morrer um dia vem
Mas amar é profundo
E nele sempre cabem de vez
Todos os verbos do mundo

Todos os verbos, Zélia Duncan - Marcelo Jeneci

Nenhum comentário: