quinta-feira, 9 de abril de 2009

da série "se frustrar é viver"
ou "uma faca no coração despedaçado"
ou "de e-mails antigos e tristezas inevitáveis"
ou "a idéia idiota de reler mensagens guardadas"
ou "por que é mesmo que as pessoas se separam?"
ou, enfim, "sexta-feira da paixão: um sofrimentozinho pra valer o dia"


quarta-feira, 3 de setembro de 2003 2:56:40

Acho que eu vou morrer de tanta saudade.

(...) E fico aqui pensando... Vamos fazer planos? Vamos colocar na nossa cabeça a idéia de ir pra Europa? De mochilão mesmo, com o intuito de passar uns meses e trabalhar por lá, e aprender coisas, e ver umas peças... Itália, Espanha, França, Inglaterra... Já pensou conhecer Paris ao lado de alguém que a gente ama? Deve ser um sonho! Eu nunca fui pra Europa e sou louca pra ir nesse esquema mochila nas costas e um mundo pra descobrir. Ultimamente eu ficava pensando "Ah, nem adianta juntar dinheiro porque não quero ir sozinha e não tem ninguém que me baste numa viagem assim, e que possa ir comigo". Agora tem você! A melhor companhia que eu poderia imaginar. Queria tanto que a gente pelo menos pensasse nessa possibilidade. E aí, devagarzinho, a gente vai vendo se quer mesmo, e como, e quando... e vai achando os meios, os caminhos, as soluções. Que cê acha? Como eu não tenho planos fixos pra depois que terminar a peça, e imagino que você também não tenha a não ser esse nosso trabalho provisório, sei lá, acho que é um momento ótimo pra pensarmos nisso. Eu te confesso que estou pensando, e realmente acreditando que daqui a um tempo poderíamos ir.

Está um frio terrível, e eu sinto demais a sua falta. Mas a minha mãe me deu um casaco preto lindo pra amenizar um pouco - o frio, não sua falta.

(...)
A lareira tá acesa.
Só falta você.
Mas tudo bem, já já nos vemos.

um beijo, meu amor.

Nenhum comentário: