domingo, 6 de maio de 2007

O verbo perdido no câncer

Existe um câncer dentro de mim.
Dentro do câncer, nada.

Uma camada é de alívio.
A outra é de solidão.

Existe uma emoção
inacabada.

Existe um câncer dentro do nada.
É uma facada, e um carinho.

Um caminho no meio da pedra.
Petra, Joana, Fedra.

Existe um câncer dentro do sonho.
Um cisto medonho, de morte.

Existe um câncer na sorte.
Um jogo vendido.

Existe um soldado rendido.
Uma guerra em que eu não vou entrar.

Depois do câncer,
existe um lugar.

Existe um câncer dentro de mim.
E ainda não sei o que fazer com ele.

Talvez amar.

Nenhum comentário: